sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A LETRA MATA ?

 
 
Antigamente alguns pregadores afirmavam que o crente não precisava estudar, pois segundo eles: “A letra mata, mas o Espírito vivifica”. Os que defendem esse ponto de vista pecam ao confundirem espiritualidade com falta de conhecimento, sendo que por falta de entendimento Bíblico, muitos desses pregadores condenavam quem estudava a palavra, pois segundo eles o crente não precisa de teologia, mas de jejuologia. Conquanto que imbuídos por esse pensamento, alguns cristãos quando lêem a passagem de II Co 3:6-9, realmente pensam que estudar a Bíblia mata a espiritualidade, por isso são categóricos ao afirmar que a “ letra mata”. Entretanto por não lerem todo o contexto do aludido versículo, confundem a letra da lei judaica que era a interpretação rabínica da lei feita por intermédio do talmude ou os 613 preceitos da constituição de Israel com a palavra de Deus. É simples de se compreender essa passagem basta ler todo o contexto: “O qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica. E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecesse, como não será de maior glória o ministério do Espírito! Porque, se o ministério da condenação foi glória, em muito maior porção será glorioso o ministério da justiça” (II Co 3.6-9). Neste contexto não se observa nenhuma alusão ao cânon fechado, pois a Bíblia, não havia sido totalmente formada, sendo que o apóstolo Paulo estava se referindo ao modo de interpretação da lei promovida pelos lideres do judaísmo que com preceitos judaicos sem vida só condenavam e apontavam sem nenhuma misericórdia. Ao contrario do ministério do Espírito (Dispensação da graça) onde a salvação esta disposta a todos. Sendo que no aludido versículo se compara a transitoriedade da lei judaica, em comparação com a graça, pois hoje estamos vivendo a dispensação do Espírito, no qual a Bíblia encontra-se totalmente revelada e não apenas parcial, pois isso a palavra não mata, mas traz vida, pois o Espírito Santo vivifica a palavra em nossos corações. A espada do Espírito é a palavra (Ef 6.17), que deve ser examinada com cuidado , porque nela se encontram as palavras da vida eterna e são elas que de mim (Jesus) testificam (Jo 5.39). Se a letra matasse, não haveria tanta reverência com a palavra como houve por parte dos homens de Deus ao longo da narrativa bíblica, pois o conhecimento da palavra gera vida e vida em abundância, pois conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Jo 8:32), sendo que o apóstolo Paulo, foi enfático ao defender a inspiração das escrituras, pois nela o homem encontra as palavras da vida eterna (II Tm 3:16,17) e assim cresce espiritualmente e passa a ser cada vez mais parecido com Jesus.
 
Pr. Orlando Martins

Vice-presidente da ADBR em Floripa "Ministério Mais de Cristo",
jornalísta, professor de Teologia e palestrante.
 (48) 41051665; 78122436
pr.orlandomartins@gmail.com

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O CRISTIANISMO DA IGREJA PRIMITIVA E A ANÁLISE EXEGÉTICA DE ATOS 2:42

Por Orlando Martins  A comunidade nascente no dia de Pentecostes é um modelo de Igreja que vivia dentro da unidade do Espírito : Esta ...