segunda-feira, 21 de agosto de 2017

UM PENSAR SOBRE A VOLTA DE JESUS!


Vivemos os últimos tempos e cada vez mais os sinais do arrebatamento são claros, fazendo com que cada cristão reflita o seu papel na sociedade, sendo que o nosso grande objetivo é estabelecer os valores do Reino de Deus entre os homens (Rm 14: 17). Entretanto muitos não creem no arrebatamento, outros acham que o Apocalipse é um livro mitológico ou histórico, sem nenhum tipo de aplicação para o tempo presente. Ledo engano, vivemos sim o final dos tempos, contudo devemos evitar os extremos, fugindo de dois polos.

1) Fanatismo: Nos tempos da Igreja primitiva, os membros da Igreja de Tessalônica iam para o teto de suas casas vestidos de branco próximo da meia noite, esperar Jesus voltar, outros na mesma localidade não queriam mais nem trabalhar. Recentemente no século passado, alguns pastores desencorajavam seus membros a estudarem, pois a qualquer momento Jesus ia voltar, já outros demonizavam tudo, e sem nenhum tipo de cuidado bíblico, ficavam apontando tudo como a marca da besta ou o sinal dos últimos dias. Em um passado recente, alguns afirmavam que o código de barras era a marca da besta, já alguns pregadores exageravam nesse tipo de exposição, ensinando que “ Ao mil chegará, mas ao dois mil não passara”. Esse ditado, muito popular no século passado não esta escrito na Bíblia, mais era defendido com unhas e dentes como ensino bíblico.





2) Descrença: Infelizmente, muitos não creem no arrebatamento da Igreja, alegando que tal ensinamento não passa de mito e fabula, já outros cristãos até acreditam, mas creem que esse acontecimento vão demorar muito, ou seja, vivem despreocupados com a volta de Jesus. Como cristãos devemos rejeitar tanto o fanatismo como a indiferença, mas, devemos pautar nossa vida pela doutrina bíblica e assim procurar crescer na verdade, pois os fundamentos da palavra são inabaláveis: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor”. O Ensino sobre o Arrebatamento, além de confrontador, é muito atual, pois realmente um dia Cristo voltará e cabe a cada um de nós sermos vigilantes: “Vigiai e orai” (Mt 26:41). Como cristãos devemos estudar cada vez mais a palavra, pois nela descobrimos muitas verdades bíblicas, sendo que um dia Cristo voltará, Maranata, ora vem Senhor Jesus!

Orlando Martins 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Qual a relação do pensamento pedagógico de Comenius com a Educação Cristã?

Orlando Eduardo Capellão Martins

               
          Inicio este texto, analisando a importância do pensamento de Comenius para a humanidade, e em especial para o mundo cristão, já que, ele além de pedagogo, era cristão e bispo moraviano, e que afirmava insistentemente que a “educação”, é a cura para a corrupção, portanto, neste aspecto, encontramos muita similaridade do pensamento dele com a Educação Cristã.
Portanto fica evidente a relação existente entre o pensamento pedagógico de Comenius e a Educação Cristã, já que, o pensamento deste pedagogo é legitimado por meio da práxis cristãs, ou seja o pensamento pedagógico de Comenius apontava para o pensamento prático, visto que Comenius (2006, p. 29) compreendia a educação como um meio que poderia gerar mudança na sociedade, seguido o seguinte tripé ensino,  moral e piedade, logo, o objetivo era a formação de princípios que promovam mudança de vida e redefinição de valores.
Contudo, analisando a extensa biografia de Comenius vemos que ele foi o criador da Didática Moderna e um dos maiores educadores do século XVII e podemos observar de modo bastante claro, a influência do pensamento deste teórico sobre a Educação Cristã, pois como matéria prática, a Educação Cristã é devedora do pensamento pedagógico de Comenius, já que, este método não contempla apenas a razão, mas, também a piedade.
Porfim, Comenius valorizava a importância da Bíblia e a promoção dos valores, visto que para  ele, a escritura deve ser a base de uma sociedade equilibrada como afirmou: “Tudo o que for ensinado aos jovens cristãos depois das Escrituras, ou seja, o ensino das ciências, das artes e das línguas, deverá ser subordinado às Escrituras, de tal modo que eles possam notar tudo ao seu redor e ver claramente que todas as coisas serão mera vaidade se não se referirem a Deus e a vida futura (COMENIUS, 2006, p. 281). 

UM PENSAR SOBRE A VOLTA DE JESUS!

Vivemos os últimos tempos e cada vez mais os sinais do arrebatamento são claros, fazendo com que cada cristão reflita o seu papel na soci...