segunda-feira, 26 de outubro de 2015

USOS E COSTUMES: O LEGALISMO E A FÉ CRISTÃ!



O tema, usos e costumes, sempre foi motivo de discussão em muitas denominações evangélicas, acredito piamente, que a guarda de bons costumes é importante, no entanto, devemos sempre lembrar, que costume não gera doutrina, mas, doutrina, gera bons costumes. Entretanto, alguns por um zelo sincero, já, outros por falta de conhecimento teológico, acabam por pregar mais costumes humanos, do que doutrinas bíblicas, o que gera em muitos cristãos, um interesse maior nos costumes e nos dogmas eclesiásticos, do que propriamente nos ensinos bíblicos. Portanto, muitos lideres, acabam por perpetuar, a propagação de suas ideias dogmáticas, e assim vão criando barreiras e defendendo bandeiras próprias onde tudo o que é do contra é considerado como errado. De modo contrário, Jesus tinha uma facilidade em tornar o sagrado em comum e o comum em sagrado, como na parábola do Samaritano (Lc 10: 25-37).


 Paradoxalmente algumas denominações evangélicas, pregam uma mensagem tão dissociada da liberdade, que acabam se tornando igrejas legalistas.
Um pastor e pensador pentecostal, relata em um de seus livros uma experiência que ocorreu em uma igreja de uma certa denominação evangélica na cidade de São Paulo: “O Obreiro fez uma pergunta a uma senhora assentada num dos últimos bancos do recinto, a qual usava um par de brincos. A senhora aí, já é crente? Ela balançou a cabeça positivamente e respondeu: Graças a Deus. Inconformado, o pastor voltou-se aos componentes do coral à sua direita e perguntou-lhes: irmãos, crente usa brinco? Nãããõ! Responderam. Em seguida, dirigiu-se à mocidade: Jovens,crente usa brinco? Nããão! Olhando novamente para aquela irmã, bastante envergonhada e constrangida, o pastor disse aos diáconos: Tragam essa senhora aqui, pois ela precisa entregar a sua vida a Jesus! Os diáconos, também constrangidos, cumpriram a ordem do obreiro local:pegaram a senhora pelo braço e a conduziram a frente do púlpito....” Esse triste episódio relata o quanto algumas denominações compreendem de forma errônea o processo de santificação que ocorre de dentro para fora e não de fora para dentro! Em Jesus somos livres de todo o julgo e assim devemos procurar ultrapassar a barreira das diferenças e proclamar a Cristo através de nossas ações de Serviço que irão apresentar o Senhor como solução para a sociedade dos dias atuais, pois viver no Espírito no meio de uma sociedade injusta é ter uma vida de vitória.

Referências

- GONDIM, Ricardo. O que a Bíblia permite e a Igreja proibe. Editora Mundo Cristão, São Paulo - SP. 2004.

Pr. Orlando Martins
escritor, professor e jornalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O CRISTIANISMO DA IGREJA PRIMITIVA E A ANÁLISE EXEGÉTICA DE ATOS 2:42

Por Orlando Martins  A comunidade nascente no dia de Pentecostes é um modelo de Igreja que vivia dentro da unidade do Espírito : Esta ...