terça-feira, 28 de março de 2017

QUEM SÃO OS PROFETAS DO ANTIGO TESTAMENTO?


Orlando Martins 

         No Cânone hebraico do Antigo Testamento, os livros históricos, isto é, os livros de Josué até Reis, pertenciam ao grupo dos profetas que seguem após o período imediato do Pentateuco.
                A Tradição rabínica atribuía a autoria destes livros aos autores que eram considerados profetas como Samuel, Josué e Jeremias, formando, por conseguinte a primeira parte do cânone profético que são denominados como profetas anteriores, seguindo assim através da construção da história judaica então, os livros proféticos propriamente ditos são denominados por profetas posteriores, sendo este grupo chamado de grupo dos profetas maiores e menores, sendo esta divisão entre maiores e menores, organizada pelo teólogo santo Agostinho. 



                Este grupo de livros proféticos abrange um grande espaço da história dos reinos do norte e do sul. Sendo Amós o mais antigo entre os profetas chamados literários, este viveu na metade do século VIII Ac entre os anos de 760 e 750, já o profeta Oseias exerceu o seu oficio profético entre os anos de 750 e 725, como Amós. Já no mesmo período no Reino do Sul o profeta Isaías atuou entre os anos de 735 até 700 A.c e teve Miqueias como seu contemporâneo. Após este período podemos encontrar o relato de vários outros profetas que marcaram o fim do século VIII como Jeremias que presenciou a queda de Jerusalém e o exílio babilônico de 70 anos. Jeremias ilustra bem o oficio profético veterotestamentário que se consista em denunciar o pecado (Jr 1:15), lutando contra o erro e as praticas abomináveis (V. 16). Este profeta teve contemporâneo a Naum, Habacuque e Sofonias, vinco logo depois os profetas Ezequiel e Isaías.
             Após o exílio surgem os profetas pós-exílicos, destacando-se entre eles Ageu, Zacarias, Malaquias, Joel e Jonas. “ Conquanto que o objetivo primordial de um profeta era proclamar a vontade de Deus para a sua época”.
Entre os hebreus os profetas ganhavam grande destaque, pois suas palavras eram consideradas inspiradas, com uma mensagem totalmente divina.
   
- Profeta como homem de Deus: Ao contrário da conotação moderna que muitos asseveram para definir o que é um homem de Deus, só recebiam este título pessoas que gozassem de uma intima comunhão com o Senhor. Por esta condição este era considerado digno para transmitir a palavra transmitida diretamente pelo Senhor por intermédio de uma iluminação divina.


- Profeta como vidente: Os profetas recebiam este titulo, pois percebiam as coisas conforme o ponto de vista do próprio Deus. Como vidente, o profeta recebia visões especiais e revelações da parte do Senhor, sendo, portanto autorizado a transmitir coisas espirituais que outras pessoas não podiam receber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O CRISTIANISMO DA IGREJA PRIMITIVA E A ANÁLISE EXEGÉTICA DE ATOS 2:42

Por Orlando Martins  A comunidade nascente no dia de Pentecostes é um modelo de Igreja que vivia dentro da unidade do Espírito : Esta ...